Softclub.pt


Produtos


Os Mais Vendidos


    Caixa para 1 DVD Preta - 7mm ou 14mm
    Caixa para 1 DVD Preta - 7mm ou 14mm
    0.25€


    Caixa Cristal para 1 CD
    Caixa Cristal para 1 CD
    0.25€


    INTEL Core I5 7500- 3,4 Ghz
    INTEL Core I5 7500- 3,4 Ghz
    775.00€


    Windows 8.1 Pro 32 ou 64bit, OEM, DVD, POR ou ENG
    Windows 8.1 Pro 32 ou 64bit, OEM, DVD, POR ou ENG
    169.00€


    Lc-Power 600W 6600GP2 V2.3- 140mm
    Lc-Power 600W 6600GP2 V2.3- 140mm
    49.00€


    500 GB SAMSUNG Serie 850 EVO Basic - MZ-75E500B
    500 GB SAMSUNG Serie 850 EVO Basic - MZ-75E500B
    172.00€


    Windows 7 Pro 32/64 Bits PT ou Eng.- OEM
    Windows 7 Pro 32/64 Bits PT ou Eng.- OEM
    182.50€


    3 TB Western Digital RED 3TB INTELLIPOWER 64MB SATA3 - WD30EFRX
    3 TB Western Digital RED 3TB INTELLIPOWER 64MB SATA3 - WD30EFRX
    139.00€


    Double Layer DVD+R T D K  8,5 GB 8x
    Double Layer DVD+R T D K 8,5 GB 8x
    2.00€


    DDR2 - 2 GB 800 Mhz KINGSTON CL6
    DDR2 - 2 GB 800 Mhz KINGSTON CL6
    39.00€


    Informação





    Kaspersky vai submeter software a análises de entidades independentes

    A empresa quer combater a ideia lançada pelo governo norte-americano de que os seus produtos de segurança estão a ser explorados por espiões russos.


    A Kaspersky Lab anunciou que vai solicitar a entidades independentes que conduzam análises de segurança ao software usado nos antivírus da empresa. Com esta iniciativa, a companhia pretende combater as alegações que os seus produtos estariam a ser utilizados pelo governo russo para fins de espionagem.


    Assim, a Kaspersky vai fornecer o código-fonte do seu software e futuras atualizações àquilo que denomina de «comunidade de segurança e outras partes interessadas». Contudo, ainda não identificou as entidades independentes que farão a referida análise, adiantando apenas que terão «credenciais no software de segurança e em testes a produtos de cibersegurança».


    Segundo a Reuters, a empresa também vai deixar que se inspecionem outros aspetos do seu negócio, como o desenvolvimento de software. O início da análise está previsto para o primeiro trimestre do próximo ano.


    Eugene Kaspersky, fundador e CEO da empresa, referiu que a organização que lidera quer provar que é «totalmente aberta e transparente». Para reforçar esta ideia, a Kaspersky vai abrir “centros de transparência” na Europa, Estados Unidos e Ásia, que consistem em espaços onde clientes e entidades governamentais poderão consultar os resultados da análise independente e discutir preocupações sobre a segurança dos produtos da companhia. A isto junta-se um aumento nas remunerações oferecidas aos investigadores que descubram vulnerabilidades nos produtos da Kaspersky: a recompensa máxima subiu de 5 mil dólares para 100 mil dólares.


     


     




     

    Noticias


    Promoção do dia


    1 TB Maxtor M3 Portable 2,5" USB 3.0 Preto

    1 TB Maxtor M3 Portable 2,5" USB 3.

    62.50€

    Área de Cliente

    E-Mail:
    Senha:
    (Recuperar a Password)